Evidências sobre autonomia e integração dos usuários transexuais em Estratégia de Saúde da Família: revisão integrativa.

revisão integrativa

  • Denildo de Freitas Gomes Universidade Federal Fluminense (UFF)
  • Enéias Teixeira Rangel Professor titular da Pós-graduação da Universidade Federal Fluminense (UFF)
  • Marta Sauthier Professora da Pós Graduação da escola de Enfermagem Anna Nery - UFRj
Palavras-chave: Atenção primária à saúde; Transexualismo; Pessoas transgêneros.

Resumo

RESUMO

Objetivos: identificar publicações indexadas em banco de dados; caracterizar essas produções e analisar resultados apoiados na teoria do reconhecimento honnetiana, oferecendo uma síntese dessas publicações. Método: revisão integrativa da literatura sistematizada, qualitativa. Questiona-se, quais são as evidências sobre vulnerabilidades e integração dos usuários transexuais para seu reconhecimento nos cuidados em saúde? Recorte de 2012 a maio de 2017 nos bancos de dados da BVS e PubMed, utilizando DECs e Mesh. Resultados: encontrou-se 55 artigos e após utilização dos filtros, com critérios de inclusão e exclusão, restaram 25 artigos, emergindo três categorias: paradigma biomédico; estigma/invisibilidade; processo de trabalho. As discussões versaram sobre modelo biomédico e invisibilidade desses usuários estigmatizados, perpassando pelo processo de trabalho deficitário, falta de conhecimento sobre questões socioculturais de gênero. Conclusão: os usuários, concebidos com rótulos predeterminados, são sujeitos integrantes da comunidade. A aceitação e convívio dependem de mudança de paradigma, com assistência/cuidado recebidos que contribuam para seu reconhecimento.

Descritores: Atenção primária à saúde; Transexualismo; Pessoas transgêneros.

 

Publicado
2019-08-07
Como Citar
GOMES, D.; RANGEL, E.; SAUTHIER, M. Evidências sobre autonomia e integração dos usuários transexuais em Estratégia de Saúde da Família: revisão integrativa. Revista Enfermagem Atual InDerme, v. 88, n. 26, 7 ago. 2019.