O brinquedo terapêutico no cuidado à criança hospitalizada

Palavras-chave: Jogos e Brinquedos; Criança; Enfermagem Pediátrica; Cuidado da Criança.

Resumo

Objetivo: Investigar as publicações dos últimos dez anos sobre o uso do brinquedo terapêutico no cuidado de enfermagem à criança hospitalizada.  Método: Revisão integrativa que seguiu seis passos: questão da pesquisa, busca na literatura, categorização dos estudos, avaliação dos estudos, interpretação dos resultados e síntese do conhecimento. Resultados: Elaborou-se duas categorias temáticas: uso do brinquedo terapêutico no cuidado à criança hospitalizada; percepção dos profissionais de enfermagem e dos pais acerca do brinquedo terapêutico. Discussão: o uso do brinquedo terapêutico ocasiona uma melhora significativa no comportamento das crianças, proporcionando tranquilidade, favorecendo a comunicação e a cooperação nos procedimentos. Ademais, identificou-se que os profissionais conhecem a eficácia da utilização do brinquedo terapêutico, porém o utilizam pouco no trabalho. Conclusão: O uso do brinquedo terapêutico precisa ser ampliado na assistência à saúde da criança, pois proporciona maior aceitação, tranquilidade e segurança frente ao ambiente e às rotinas hospitalares.

Biografia do Autor

Juliana Bordoni Canêz, Universidade Federal de Pelotas

Acadêmica de Enfermagem na Universidade Federal de Pelotas. Bolsista do projeto de extensão Aprender/Ensinar Saúde Brincando. Membro do Núcleo de Pesquisa e Estudo com Crianças, Adolescentes, Mulheres e Famílias (NUPECAMF).

Ruth Irmgard Bärtschi Gabatz, Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001), Pós-graduação em Administração Hospitalar (2005) pela Sociedade Educacional Três de Maio, e em Saúde Coletiva e da Família (2007) pela Universidade do Sul de Santa Catarina, mestrado pela Universidade Federal de Santa Maria (2009) e doutorado em Ciências da Saúde Programa de Pós-graduação da Faculdade de Enfermagem UFPEL (2016). Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Federal de Pelotas - UFPEL. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Pediátrica e Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: pediatria, violência intrafamiliar, acolhimento infantil, cuidado de enfermagem à criança, adulto e família. Membro do grupo de pesquisa: Cuidado à Saúde das Pessoas, Famílias e Sociedade (desde 2007), da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Departamento de Enfermagem. Vice-líder do Núcleo de Pesquisa e Estudo com crianças, adolescentes, mulheres e famílias - NUPECAMF

Tuize Damé Hense, Universidade Federal de Pelotas

Acadêmica do curso de bacharelado em enfermagem na Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).

Vitória Gonçalves Vaz, Universidade Federal de Pelotas

Acadêmica do curso de bacharelado em enfermagem na Universidade Federal de Pelotas

Rayssa dos Santos Marques, Universidade Federal de Pelotas

Acadêmica do curso de bacharelado em enfermagem na Universidade Federal de Pelotas

Viviane Marten Milbrath, Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal de Pelotas (2006). Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande (2008) e Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013). Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Federal de Pelotas e membro dos grupos de pesquisa Cuidado à Saúde nas Etapas da Vida (CEVIDA) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e do NUPECANF da Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Pediátrica, atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem, família, cuidado, criança portadora de necessidades especiais e educação em saúde.

Publicado
2019-08-07
Como Citar
BORDONI CANÊZ, J.; IRMGARD BÄRTSCHI GABATZ, R.; DAMÉ HENSE, T.; GONÇALVES VAZ, V.; DOS SANTOS MARQUES, R.; MARTEN MILBRATH, V. O brinquedo terapêutico no cuidado à criança hospitalizada. Revista Enfermagem Atual InDerme, v. 88, n. 26, 7 ago. 2019.