Tratamento convencional e fitoterápico de lesões crônicas em um ambulatório:

comparação de custos

  • LIDIANE LIMA DE ANDRADE UFCG
  • Lorena Nascimento Carvalho
  • Alana Tamar Oliveira de Sousa
  • Jaqueline Araújo Paula Lima
Palavras-chave: Ferimentos e Lesões; Fitoterapia; Plantas Medicinais; Custos e análise de custo.

Resumo

Objetivos: Apontar os gastos com insumos utilizados no tratamento de feridas crônicas e comparar os custos entre o tratamento convencional e fitoterápico de lesões crônicas em um ambulatório.

Métodos: Estudo de natureza documental e descritiva com abordagem quantitativa, desenvolvido em um ambulatório, designado para o tratamento de feridas crônicas. Desenvolveu - se por meio da análise dos prontuários dos pacientes atendidos no ambulatório, entre os meses de agosto a outubro de 2018. Para análise dos dados foi utilizado a estatística descritiva. Os resultados obtidos foram compilados e subsidiaram a análise comparativa a partir de duas categorias: a primeira se referiu aos insumos e a segunda abordou as coberturas utilizadas para o tratamento, sendo subdivididas em tratamento convencional e tratamento fitoterápico.

Resultados: Dentre 344 atendimentos, constatou-se que os gastos com insumos que tiveram maiores custos foram: luvas estéreis (R$711,17), solução fisiológica a 0,9% (R$ 357,86), atadura de crepe com 20 cm (R$ 312,44), luvas de procedimento (R$ 247,08) e gazes (R$178,60). Quanto às coberturas, foi verificado ao final dos atendimentos um custo total de R$ 627,87 para coberturas convencionais e R$ 103,20 para coberturas fitoterápicas.

Conclusão: A realização da pesquisa permitiu comparar custos e comprovar que a utilização de coberturas fitoterápicas possui um menor custo quando comparada a coberturas convencionais.

Palavras-chave: Ferimentos e Lesões; Fitoterapia; Plantas Medicinais; Custos e análise de custo.

Publicado
2019-08-07
Como Citar
DE ANDRADE, L.; CARVALHO, L.; SOUSA, A. T.; LIMA, J. Tratamento convencional e fitoterápico de lesões crônicas em um ambulatório:. Revista Enfermagem Atual InDerme, v. 88, n. 26, 7 ago. 2019.