Representações Sociais do Cuidado de Enfermagem em Saúde Mental na Atenção Básica

Social Representations of Nursing Care in Mental Health in Primary Care

  • Edirlei Machado dos Santos1
  • Claudinei José Gomes Campos
  • Helca Franciolli Teixeira Reis3
  • Wanderley Matos Reis Júnior4
  • José Andrade Louzado
  • Geslaney Reis da Silva

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivos analisar as ferramentas utilizadas por enfermeiras para o desenvolvimento do cuidado
em saúde mental na Estratégia Saúde da Família e as limitações para a sua produção. Trata-se de uma pesquisa qualitativa
do tipo estudo de caso. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas e analisados a partir da
Análise de Conteúdo Temática, a partir da Teoria das Representações Sociais. Foram depreendidas duas categorias: ferramentas utilizadas para a produção do cuidado em saúde mental e as limitações para a sua efetivação. As participantes da
pesquisa ancoraram suas representações sociais em elementos que retrataram as possibilidades/limitações para o cuidado
em saúde mental, principalmente, relacionadas ao usuário com transtorno mental. Destarte, as participantes da pesquisa
reconheceram o encaminhamento/medicalização, o acolhimento/vínculo/escuta como possibilidades para produção do
cuidado em saúde mental e apontaram as deficiências nos processos formativos e o medo como limitadores para a produção deste cuidado.
Palavras-chave: Serviços de Saúde Mental; Programa Saúde da Família; Pesquisa Qualitativa; Enfermagem.


ABSTRACT
This research aimed to analyze the tools used by nurses for the development of mental health care in the Family Health
Strategy and the limitations to their production. This is a qualitative case-study research. The data were collected through
semi-structured interviews and analyzed from the Thematic Content Analysis, based on the Social Representations Theory.
Two categories emerged: tools used for the production of mental health care and the limitations to its effectiveness. The
research participants anchored their social representations in elements that portrayed the possibilities / limitations for
mental health care, mainly related to the user with mental disorder. Thus, the research participants acknowledged referral
/ medicalization, welcoming / bonding / listening as possibilities for the production of mental health care, and pointed out
deficiencies in the formative processes and fear as limiters for the production of this care.
Keywords: Mental Health Services; Family Health Program; Qualitative research; Nursing

Publicado
2019-04-08