PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DE ENFERMAGEM ACERCA DO CURSO DE FÉRIAS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2023-v.97-n.4-art.1726

Palavras-chave:

Hospitais Universitários, Pediatria, Estudantes de Enfermagem

Resumo

Objetivo: Apontar a relevância dos estágios na área da pediatria para os universitários da área da saúde e relatar as experiências vivenciadas nesse setor. Método: Trata-se de um relato de experiência, com abordagem descritiva sobre a vivência de cinco graduandos de Enfermagem da Universidade Federal de Campina Grande, no Hospital Universitário Júlio Bandeira no setor da Unidade de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente, onde foi realizado o VII Curso de Férias 2022, no período de setembro de 2022. Resultados: De acordo com os universitários, participar dessa extensão é caracterizada como uma experiência única, onde o estudante sai com um saldo de conhecimento prático do dia a dia de uma unidade hospitalar, associação da teoria, experiência profissional, carga horária no currículo acadêmico e oportunidade de conhecer novas técnicas, bem como praticar os conhecimentos adquiridos em sala de aula. Além disso, as inserções precoces dos universitários no cotidiano dos serviços favorecem a aprendizagem significativa, a construção de conhecimentos, além de desenvolver habilidades e atitudes, com autonomia e responsabilidade. Considerações finais: Durante a formação acadêmica acabamos não tendo oportunidade de dispor um tempo mais prolongado nos setores que possuímos um maior interesse, resultando em déficits no ensino-aprendizagem. O curso de férias faz com que tenhamos a construção de uma identidade profissional, devido ser um campo de conhecimentos enriquecedor pelo qual aproxima o estagiário da futura profissão que irá exercer, com as pessoas e com as práticas que irá trabalhar para que assim diminua as dificuldades a serem enfrentadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brasil. Cenário da infância e adolescência no Brasil 2022 Internet]. São Paulo: Fundação abrinq; 2022. [cited 2022 Out 10]. Disponível em: https://fadc.org.br/sites/default/files/2022-03/cenario-da-infancia-e-adolescencia-no-brasil-2022_0.pdf

Fonseca LGA, Panciera, SDP, Zihlmann, KF. Hospitalização em oncologia pediátrica e desenvolvimento infantil: interfaces entre aspectos cognitivos e afetivos. Psicol Ciênc Prof. 2021;41(3):e189238. Doi: https://doi.org/10.1590/1982-3703003189238

Borges CSS, Pedro JG, Silva MG, Silva DM. A importância do acompanhamento integral na saúde da criança. Anais III conbracis [Internet]. 2018 [cited 2022 Out 10]. Disponível em: https://www.editorarealize.com.br/index.php/artigo/visualizar/40623

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 1.130, de 5 de agosto de 2015 [Internet]. Brasília, DF: Diário Oficial da União; 2015 [cited 2022 Out 10]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2015/prt1130_05_08_2015.html

Leão HM, Caldeira, AP. Acessibilidade e trajetórias de cuidado para crianças com internações por condições sensíveis à atenção primária. Ciênc Saúde Coletiva. 2021; 9(8):3301-10. Doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232021268.08882020

Gonçalves R, Camargo FC, Silva MP, Santos ÁD, Amaral JB, Contim D. Educação em saúde no ambiente hospitalar pediátrico. Rev Enferm Atenção Saúde. 2020;9(2):39-50. Doi: https://doi.org/10.18554/reas.v9i2.3558

Maciel SM, Cardoso GM, Monari FF, Magalhães FC, Oliveira AJ. Vivências dos familiares sobre a hospitalização de crianças em uma unidade de terapia intensiva pediátrica. Enferm Foco. 2022;13:e-202234. Doi: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2022.v13.e-202234.

Franzoi MAH, Lemos KC, de Jesus CAC, Pinho DLM, Kamada I, dos Reis PED. Teoria das relações interpessoais de Peplau: uma avaliação baseada nos critérios de fawcett. Rev Enferm UFPE. 2016;1(4):3653-61. Doi: https://doi.org/10.5205/reuol.9681-89824-1-ED.1004sup201617

Carvalho JA, Souza DM, Domingues F, Amatuzzi E, Pinto MCM, Rossato LM. Pain management in hospitalized children: a cross-sectional study. Rev Esc Enferm USP. 2022;56: e20220008. Doi: https://doi.org/10.1590/1980-220X-REEUSP-2022-0008en.

Silva JA, Azevedo EB, Barbosa JC, Lima MK, Cantalice AS, Ramalho MC, et al. O lúdico como recurso terapêutico no tratamento de crianças hospitalizadas: percepção dos enfermeiros. Enferm Foco. 2021;12(2):365-71. Doi: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2021.v12.n2.4358

TabNet. DataSus tecnologia da informação a serviço do SUS. População geral residente em cajazeiras e indicadores de saúde da criança [Internet]. 2019 [cited 2022 Out 10]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?ibge/cnv/popsvsbr.def

Rocha PK, Prado ML, Wal ML, Carraro TL. Cuidado e tecnologia: aproximações através do modelo de cuidado. Rev Bras Enferm. 2008;61(1):113-16. Doi: https://doi.org/10.1590/S0034-71672008000100018

Teixeira E. Em tempos de novas diretrizes curriculares nacionais (DCN) para o curso de graduação em enfermagem. Rev Enferm UFSM. 2017;7(2):iii-iv. Doi: https://doi.org/10.5902/2179769228859

Chirelli MQ, Pio DAM, Soares MOM. Competência dialógica: avaliação do desempenho no currículo integrado. Indag Didac 2016;8(3):109-23. Doi: https://doi.org/10.34624/id.v8i3.2731

Nalom DMF, Ghezzi JFSA, Higa EFR, Peres CRFB, Marin MJS. Ensino em saúde: aprendizagem a partir da prática profissional. Ciênc Saúde Coletiva. 2019;24(5):1699-708. Doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018245.04412019

Publicado

17-11-2023

Como Citar

1.
Silva MEW de B, Joselane Izaquiel Marinho, Márley Romão Leite, Felipe Ramon de Araújo Medeiros, Jaqueline Freitas Paulo, Micaelly Abreu de Souza, Rodrigo Marcelino Zacarias de Andrade, Elicarlos Marques Nunes. PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DE ENFERMAGEM ACERCA DO CURSO DE FÉRIAS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 17º de novembro de 2023 [citado 23º de junho de 2024];97(4):e023216. Disponível em: http://revistaenfermagematual.com.br/index.php/revista/article/view/1726

Edição

Seção

RELATOS