O uso de aplicativos digitais no processo ensino-aprendizagem de crianças no espectro do autismo: uma revisão integrativa

The use of digital applications in the teaching-learning process of individuals with the spectrum of autism: an integrative review

  • Francidalma Soares Sousa Carvalho Filha Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)
  • Beto Douglas Alves Cardoso Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)
  • Iel Marciamo de Moraes Filho Universidade Paulista (UNIP), Campus Brasília.
  • Franc-Lane Sousa Carvalho do Nascimento
  • Marcus Vinicius da Rocha Santos da Silva
  • Mayara Cândida Pereira UNIVERSIDADE PAULISTA (UNIP), Campus Brasília.
  • Maria Luiza Rêgo Bezerra Universidade de Brasília (UnB)
  • Osmar Pereira dos Santos
  • Thais Vilela de Sousa
Palavras-chave: Transtorno do Espectro Autista; Aplicativos Móveis; Inclusão educacional.

Resumo

Objetivou-se verificar a funcionalidade de recurso digitais no processo de ensino aprendizado em crianças autistas, a partir de uma Revisão Integrativa da Literatura nas bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciElo) e Sistema Online de Busca e Análise de Literatura Médica (MEDLINE), obtendo o resultado de 14 artigos, do período de 2013 a 2018. Os recursos digitais são benéficos no processo de ensino aprendizado em crianças que vivem com o Transtorno do Espectro do Autistismo, os softwares e aplicativos nos quais foram desenvolvidos especificamente para crianças autistas, segundo as pesquisas apresentadas nos artigos analisados, todos foram testados e com resultados satisfatórios. Nessa perspectiva, evidenciou-se que o uso de aplicativos presentes nos tabletes, smartphones e computadores  são fortes componentes no processo de desenvolvimento de crianças com a algum tipo de deficiência, no Autismo o uso de atividades presentes nesses ambientes tecnológicos servem para motivar as crianças a iniciarem tais atividades nos meios tecnológicos e assim, conseguirem expandi-las ao contato real com outras pessoas, criando a partir daí vínculos afetivos e interação social com o meio em que se está inserido.

Biografia do Autor

Francidalma Soares Sousa Carvalho Filha, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

(Enfermeira. Doutora em Saúde. Docente da Universidade Estadual do Maranhão e do Centro Universitário de Ciências de Tecnologia do Maranhão).

Beto Douglas Alves Cardoso, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

(Enfermeiro. Universidade Estadual do Maranhão)

Iel Marciamo de Moraes Filho, Universidade Paulista (UNIP), Campus Brasília.

(Enfermeiro. Mestre em Ciências Ambientais e Saúde (PUC-GO). Professor do Curso de Enfermagem da UNIP, campus Brasília.

Franc-Lane Sousa Carvalho do Nascimento

(Pedagoga. Doutora em Educação. Docente da Universidade Estadual do maranhão).

Marcus Vinicius da Rocha Santos da Silva

(Enfermeiro. Especialista em Docência do Ensino Superior. Enfermeiro Fiscal do COREN-PR).

Mayara Cândida Pereira, UNIVERSIDADE PAULISTA (UNIP), Campus Brasília.

Enfermeira. Mestre em Gerontologia (UCB). Coordenadora do Curso de Enfermagem da Universidade Paulista (UNIP), campus Brasília.

Maria Luiza Rêgo Bezerra, Universidade de Brasília (UnB)

Enfermeira (UFMA). Mestre em Enfermagem (UnB). Professora Adjunto/Profissional III do Curso de Enfermagem da Universidade Paulista (UNIP), campus Brasília e Professora do Curso de Enfermagem da Universidade de Brasília (UnB).

Thais Vilela de Sousa

Mestranda em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás (FEN/UFG). Especialista Urgência e Emergência pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde pelo Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (HC/UFG/EBSERH). Membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Tecnologias de Avaliação, Diagnóstico e Intervenção de Enfermagem e Saúde (NUTADIES) da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás (FEN/UFG). Experiência em enfermagem, com enfase em assistência ao paciente cirúrgico, ao paciente clínico e ao paciente crítico e pacientes em sofrimento mental. Pesquisadora em saúde do adulto com enfase em doenças crônicas cardiovasculares.

Publicado
2020-04-06
Como Citar
CARVALHO FILHA, F.; CARDOSO, B. D.; DE MORAES FILHO, I.; DO NASCIMENTO, F.-L.; DA SILVA, M. V.; PEREIRA, M.; BEZERRA, M. L.; DOS SANTOS, O.; DE SOUSA, T. O uso de aplicativos digitais no processo ensino-aprendizagem de crianças no espectro do autismo: uma revisão integrativa. Revista Enfermagem Atual In Derme, v. 91, n. 29, 6 abr. 2020.