O tempo de reação da equipe multiprofissional frente aos ruídos na unidade neonatal

  • Adriana Duarte Rocha Instituto Nacional em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira / Fiocruz
  • Danielle Bonotto Cabral Reis, MSc Instituto Nacional em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira / Fiocruz http://orcid.org/0000-0003-0180-082X
  • Ana Carolina Carioca Costa, DSc Instituto Nacional em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira / Fiocruz http://orcid.org/0000-0002-9456-3319
  • José Maria de Andrade Lopes, MD Instituto Nacional em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira /Fiocruz http://orcid.org/0000-0002-2356-4656
Palavras-chave: ruído, monitoramento do ruído, UTI neonatal, unidades de terapia intensiva neonatal, tempo de reação

Resumo

Objetivo: Identificar o tempo de reação da equipe multiprofissional frente à presença de ruído na unidade de terapia neonatal. Metodologia: Estudo transversal onde foram coletados registros de níveis de pressão sonora utilizando um decibilimetro. Resultados: Foram coletados 449 registros para análise na presente pesquisa, sendo 323 feitos na unidade de terapia intensiva neonatal  e 126 na Unidade de Cuidados Intermediários Convencionais. Verificou-se que a mediana do tempo de reação dos profissionais foi elevado. O profissional que atuou com maior rapidez frente ao ruído na UTIN foi o Enfermeiro; e na UCINCO, o profissional médico atuou mais rapidamente. Também foi registrado que não houve uma correlação significativa entre elevados níveis de pressão sonora e o tempo de reação dos profissionais frente ao ruído. Conclusão: o tempo de reação dos profissionais de saúde, frente aos ruídos nesta unidade neonatal encontrava-se muito além do que foi estipulado para este estudo.

Publicado
2020-08-26
Como Citar
ROCHA, A.; REIS, D.; COSTA, A. C.; LOPES, J. M. O tempo de reação da equipe multiprofissional frente aos ruídos na unidade neonatal. Revista Enfermagem Atual In Derme, v. 93, n. 31, p. e-020026, 26 ago. 2020.
Seção
ARTIGOS DE REFLEXÃO