Gestational syphilis: associated factors, risk behavior and neonatal repercussions

Sífilis gestacional: fatores associados, comportamento de risco e repercussões neonatais

Autores

  • Juliana das Dores Ferreira
  • Amanda Santos Fernandes Coelho
  • Janaína Valadares Guimarães
  • Maíra Ribeiro Gomes de Lima
  • Marilia Cordeiro de Sousa
  • Lara Thaiane Souza Pereira
  • Kauhan Ribeiro de Paula

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2019-v.87-n.25-art.211

Resumo

Objetivo: analisar o comportamento de risco, os fatores associados e as repercussões neonatais em gestantes com sífilis.
Método: estudo transversal, descritivo e retrospectivo, composto por 107 casos de sífilis gestacional em um hospital referência em gestação de alto risco, no período entre janeiro de 2016 e abril de 2017. Para análise estatística, foram aplicados
os testes de qui-quadrado de Yates e Exato de Fisher. Resultados: maior ocorrência em mulheres jovens (56,1%), de cor
não branca (81%), sem companheiro (53%), procedentes de outros municípios (65%), com menor escolaridade (62%) e
sem exercer atividade remunerada (82%). Apesar de realizarem o pré-natal (95%), obtiveram um tratamento inadequado
para a infecção (60%) e sem adesão dos parceiros sexuais (48%). Houve um predomínio de recém-nascidos pré-termos
(51%), classificados com baixo peso ao nascer (35%) e vivos (90%). Houve uma associação estatisticamente significante entre o comportamento de risco com a escolaridade de até 8 anos de estudos (p<0.010), número de consultas de pré-natal
<6 (p<0.001) e ocorrência de parto vaginal (p<0.032). Conclusão: as desigualdades sociais, aliadas às falhas na assistência
pré-natal, corroboram para a persistência do quadro epidemiológico de sífilis no Brasil.
Descritores: Doenças Sexualmente Transmissíveis; Sífilis; Saúde da Mulher; Infecções por Treponema; Comportamentos de Risco à Saúde.



Objective: to analyze the risk behavior, associated factors and neonatal repercussions in pregnant women with syphilis.
Method: a cross-sectional, descriptive and retrospective study of 107 cases of gestational syphilis in a high-risk gestational hospital, in the period between January 2016 and April 2017. For statistical analysis, the chi-square Yates and Fisher’s
Exact test were applied. Results: greater occurrence in young women (56.1%), non-white skin color (81%), without
companion (53%), coming from other municipalities (65%), lower schooling (62%) and without exercising paid activity
(82%). Although they performed prenatal care (95%), they were inadequately treated for infection (60%) and without
adherence of sexual partners (48%). There was a predominance of preterm newborns (51%), classified as having low
birth weight (35%) and alive (90%). There was a statistically significant association between risk behavior with up to 8
years of schooling (p <0.010), number of prenatal consultations <6 (p <0.001), and vaginal delivery (p <0.032). Conclusion: social inequalities, together with failures in prenatal care, corroborate the persistence of the epidemiological
presentation of syphilis in Brazil.
Descriptores: Sexually Transmitted Diseases; Syphilis; Women’s Health; Treponemal Infections; Health Risk Behaviors. ,
corroboram para a persistência do quadro epidemiológico de sífilis no Brasil. presentment

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

11-04-2019

Como Citar

1.
Ferreira J das D, Coelho ASF, Guimarães JV, Lima MRG de, Sousa MC de, Pereira LTS, Paula KR de. Gestational syphilis: associated factors, risk behavior and neonatal repercussions: Sífilis gestacional: fatores associados, comportamento de risco e repercussões neonatais. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 11º de abril de 2019 [citado 22º de fevereiro de 2024];87(25). Disponível em: https://revistaenfermagematual.com.br/index.php/revista/article/view/211