LESÕES ASSOCIADAS A DISPOSITIVOS MÉDICOS EM RECÉM-NASCIDOS E CRIANÇAS EM SITUAÇÃO CRÍTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2022-v.96-n.38-art.1426

Palavras-chave:

Recém-nascido; pele; lesão por pressão.

Resumo

RESUMO

Objetivo: identificar nas evidências científicas as principais causas, medidas de prevenção e estratégias de cuidado aos recém-nascidos e crianças em situação de risco de lesão por pressão. Método: Revisão integrativa realizada nas bases: SCielo, MEDLINE, BDENF, LILACS, EBSCO, CINAHL. Foram analisados 18 artigos quanto ao nível de evidência e ao conteúdo, realizado a estratégia PICO, método duplo-cego e atemporal com os descritores: recém-nascido AND pele AND lesão por pressão. Resultados: Evidenciou-se literaturas publicadas em 2003, com nível IV de evidência, mais publicados por enfermeiros. Como principais causas identificou-se: predomínio de lesões por dispositivos médicos, com destaque ao CPAP nasal e oxímetros de pulso. Bem como as características individuais (idade, tamanho, duração da terapia, umidade e temperatura do ambiente). Quanto às medidas preventivas e estratégias destaca-se: a utilização de instrumentos válidos e confiáveis para a avaliação vigilância rigorosa dos profissionais. Dentre os cuidados identificou-se: curativos de barreira, espuma de polivinila e adesivos de barreira. Conclusões: Conclui-se que as lesões por dispositivos médicos são as principais causas de lesão por pressão nos recém-nascidos e crianças, utilizou-se as escalas de avaliação de pele e a vigilância profissional como estratégias de prevenção. Como estratégia de cuidado destacou-se o uso do curativo de barreira.

Descritores: Recém-nascido; pele; lesão por pressão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-06-22

Como Citar

1.
Pinto Machado C, Jorge Magalhães F, Borba Costa MS, Pereira Rovere G, de Paula Pessoa Gurgel E, Guimarães Veloso C. LESÕES ASSOCIADAS A DISPOSITIVOS MÉDICOS EM RECÉM-NASCIDOS E CRIANÇAS EM SITUAÇÃO CRÍTICA. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 22º de junho de 2022 [citado 27º de junho de 2022];96(38):e-021263. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com.br/index.php/revista/article/view/1426

Edição

Seção

ARTIGO DE REVISÃO