CORDEL SOBRE VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA: ORIENTAÇÕES PARA A GESTANTE E SUA REDE DE APOIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2024-v.98-n.1-art.1973

Palavras-chave:

redes de apoio social, rede familiar, violência obstétrica, tecnologia educacional

Resumo

Ao longo dos anos, a assistência ao parto tem passado por mudanças, saindo do contexto natural e fisiológico para a submissão da parturiente aos profissionais, ameaçando sua autonomia e protagonismo das mulheres através de intervenções desnecessárias, a chamada violência obstétrica. Essa violência pode ocorrer de forma verbal, física e psicológica, caracterizada como apropriação do corpo feminino e dos processos reprodutivos pelos profissionais. Objetivou-se descrever a construção de uma tecnologia educativa no formato de um cordel sobre violência obstétrica com foco na orientação da gestante e sua rede de apoio. Trata-se de um estudo metodológico dividido em levantamento de dados, leitura de artigos e seleção de conteúdo para a construção da literatura de cordel. Após vasta pesquisa bibliográfica definiu-se os temas a serem abordados no cordel, desenvolvidos através de rimas, que são características dessa literatura. Posteriormente, foram selecionadas as imagens internas da literatura e da capa. O layout do cordel foi elaborado com o auxílio de vídeos pensando na acessibilidade como ponto chave do corpo do texto.  Ademais, foi produzido pelas autoras um cordel de título “Violência obstétrica, vamos aprender?”, com oito páginas, capa e contracapa, contendo 24 estrofes com seis versos cada. O estudo desenvolvido possibilitou o conhecimento, a reflexão e o pensamento crítico sobre o tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bitencourt ADC, Oliveira SL, Rennó GM. Significado de violência obstétrica para os profissionais que atuam na assistência ao parto. Enferm Foco [Internet]. 2021 [citado 2023 Jul 04]; 12(4):787–93. doi: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2021.v12.n4.4614. DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2021.v12.n4.4614

Zanardo GLP, Uribe MC, Nadal AHRD, Habigzang LF. Violência obstétrica no Brasil: uma revisão narrativa. Psicol Soc [Internet]. 2017 [citado 2023 Jun 10];29(0):e155043–e155043. doi: https://doi.org/10.1590/1807-0310/2017v29155043. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-0310/2017v29155043

Menezes FR, Reis GM, Sales AAS, Jardim DMB, Lopes TC. O olhar de residentes em Enfermagem Obstétrica para o contexto da violência obstétrica nas instituições. Interface [Internet]. 2020 [citado 2023 Jul 04]; 24:e180664. doi: https://doi.org/10.1590/Interface.180664. DOI: https://doi.org/10.1590/interface.180664

Lima KD, Pimentel C, Lyra TM. Disparidades raciais: uma análise da violência obstétrica em mulheres negras. Cien Saude Colet [Internet]. 2021 [citado 2023 Ago 04]; 26(suppl 3):4909–18. doi: https://doi.org/10.1590/1413-812320212611.3.24242019. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-812320212611.3.24242019

Matos MG, Magalhães AS, Féres-Carneiro T. Violência Obstétrica e Trauma no Parto: O Relato das Mães. Psicol Ciênc Prof [Internet]. 2021 [citado 2023 Jul 12];41:e219616. doi: https://doi.org/10.1590/1982-3703003219616. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-3703003219616

Tsunechiro MA, Bonadio IC. A família na rede de apoio da gestante. Fam. Saúde Desenv [Internet]. 1999 [citado 2023 Jun 21]; 1(2):103-06. doi: http://dx.doi.org/10.5380/fsd.v1i1.4853. DOI: https://doi.org/10.5380/fsd.v1i1.4853

Lansky S, Souza KV, Peixoto ERM, Oliveira BJ, Diniz CSG, Vieira NF, et al. Violência obstétrica: influência da Exposição Sentidos do Nascer na vivência das gestantes. Cien Saude Colet [Internet]. 2019 [citado 2023 Ago 22]; 24(8):2811–24. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018248.30102017. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232018248.30102017

Batista ITP, Maia ICVL, Rocha AS, Morais, RS. Metodologias focadas na gamificação para o ensino superior na área da enfermagem: uma revisão integrativa. REASE [Internet]. 2023 [citado 2023 Jun 10]; 9(4):966–83. doi: https://doi.org/10.51891/rease.v9i4.9282. DOI: https://doi.org/10.51891/rease.v9i4.9282

Alves I. Cordel: o que é e qual o significado [Internet]. 2021 [citado 2023 Jan 20]. Disponível em: https://www.significados.com.br/cordel/.

Melo WS, Oliveira PJF, Monteiro FPM, Santos FCDA, Silva MJN, Calderon CJ, et al. Guide of attributes of the nurse’s political competence: a methodological study. Rev Bras Enferm [Internet]. 2017 [citado 2023 Set 12]; 70(3):526–34. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0483. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0483

Polit DF, Beck CT. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: avaliação de evidências para a prática da enfermagem. 9. ed. Porto Alegre: Artmed; 2019.

Teles LMR, Oliveira AS, Campos FC, Lima TM, Costa CC, Gomes LFS, et al. Development and validating an educational booklet for childbirth companions. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2014 [citado 2023 Jul 05]; 48(6):977–84. doi: https://doi.org/10.1590/S0080-623420140000700003 DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-623420140000700003

Araújo F. Como escrever um cordel [Internet]. Prof. Fagner Araujo; 13 jul 2022 [citado 2023 Jun 02]. Vídeo: 11 min. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=jJxQD1wSI54.

Deatrick D, Aalberg J, Cawley, J. A guide to creating and evaluating patient materials. guidelines for effective print communication [Internet]. Portland: MaineHealth; 2010 [citado 2023 maio 22]. Disponível em: https://mainehealth.org/-/media/community-education-program-cep/ health-literacy/mh-print-guidelines.pdf?la=en.

Brasil. Lei nº 11.108, de 7 de abril de 2005. Altera a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Brasília: Diário Oficial da União; 2005.

Manobra de Kristeller: entenda por que o método é considerado uma forma de violência obstétrica. Rev Crescer [Internet]. 2017 [citado 2022 Nov 20]. Disponível em: https://revistacrescer.globo.com/Gravidez/Parto/noticia/2017/01/manobra-de-kristeller-entenda-por-que-o-metodo-e-considerado-uma-forma-de-violencia-obstetrica.html.

Carvalho VF, Kerber NPC, Busanello J, Gonçalves BG, Rodrigues EF, Azambuja EP. How the workers of a birthing center justify using harmful practices in natural childbirth. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2012 [citado 2023 Fev 05]; 46(1):30-37. doi: https://doi.org/10.1590/S0080-62342012000100004. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-62342012000100004

Oliveira EM, Celento DD. A temática da Rede Cegonha e a inserção do enfermeiro nesse contexto. Rev Saúde [Internet]. 2016 [citado 2023 Jun 23]; 7(1):33. doi: https://doi.org/10.21727/rs.v7i1.87. DOI: https://doi.org/10.21727/rs.v7i1.87

Brüggemann OM, Ebsen ES, Oliveira ME, Gorayeb MK, Ebele RR. Motivos que levam os serviços de saúde a não permitirem acompanhante de parto: discursos de enfermeiros. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2014 [citado 2023 Ago 05]; 23(2):270-7. doi: https://doi.org/10.1590/0104-07072014002860013. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-07072014002860013

Marques IR, Barbosa SF, Basile ALO, Marin HF. Guia de Apoio à Decisão em Enfermagem Obstétrica: aplicação da técnica da Lógica Fuzzy. Rev. Bras Enferm [Internet]. 2005 [citado 2023 Jul 05]; 58(3):349–54. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-71672005000300019. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-71672005000300019

Matos GC, Soares MC, Escobal APDL, Quadro PP, Rodrigues JB. Rede de apoio familiar à gravidez e ao parto na adolescência: uma abordagem moscoviciana. J Nurs Health [Internet]. 2019 [citado 2023 Ago 25]; 9(1). doi: http://dx.doi.org/10.15210/jonah.v9i1.12754. DOI: https://doi.org/10.15210/jonah.v9i1.12754

Publicado

04-01-2024

Como Citar

1.
Ferreira de Sousa H de F, de Sousa da Silva I, Ariclene Oliveira F, Freitas Oliveira LA, Castro Sampaio R, Raimundo Silva Junior F, de Oliveira e Silva AC, Reis Ferreira U. CORDEL SOBRE VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA: ORIENTAÇÕES PARA A GESTANTE E SUA REDE DE APOIO . Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 4º de janeiro de 2024 [citado 22º de fevereiro de 2024];98(1):e024248. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com.br/index.php/revista/article/view/1973

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL