ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NÃO FARMACOLÓGICA À PUÉRPERA: REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2024-v.98-n.2-art.2238

Palavras-chave:

Cuidados de Enfermagem; Período Pós-Parto; Terapias Complementares; Enfermagem Obstétrica.

Resumo

Objetivo: verificar na produção científica quais as publicações existentes sobre a assistência de enfermagem não farmacológica à puérpera. Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa, com coleta de dados no mês de outubro de 2021, nas bases de dados eletrônicos: LILACS, SciELO, Pubmed e BDENF. Como questão norteadora: Quais as publicações existentes sobre a assistência de enfermagem não farmacológica à puérpera? Empregaram-se os termos de busca combinados: ‘Cuidados de Enfermagem’, ‘Período Pós-Parto’, ‘Terapias Complementares’, ‘Enfermagem Obstétrica’ resultando em 29 artigos, sendo destes 11 elegíveis. Resultados: Os resultados expressam maioria dos estudos selecionados realizados em países asiáticos (54,55%) com destaque para Coréia do sul e Turquia, publicados em 2013 (18,50%) e os descritivos foram os mais prevalentes (36,4%). Duas categorias emergiram. I- Uso de terapias complementares na assistência de enfermagem puerperal; II- Avaliação do uso de terapias alternativas na assistência de enfermagem puerperal. Conclusões: Portanto, os achados deste estudo identificaram estudos sobre medidas e intervenções alternativas/complementares que se distanciam da assistência no modelo convencional, atuando de forma coadjuvante no âmbito da assistência de enfermagem no puerpério.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Silva ECP, Santos ES, Santos WN, Silva RA, Lopes NC, Figueiredo TA, Coqueiro JM. Puerpério e assistência de enfermagem: percepção das mulheres. Revista de Enfermagem da UFPE on line. 2017;11(7):2826-28. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11043/19180

Baratieri T, Natal S. Ações do programa de puerpério na atenção primária: uma revisão integrativa. Ciênc Saúde Coletiva. 2019;24:4227–38. Doi: https://doi.org/10.1590/1413-812320182411.28112017

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada – manual técnico. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_pre_natal_puerperio_3ed.pdf

Ministério da Saúde (BR). Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde; 2009. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nac_atencao_mulher.pdf

Corrêa MSM, Feliciano KVO, Pedrosa EN, Souza AI de. Acolhimento no cuidado à saúde da mulher no puerpério. Cad Saúde Pública. 2017;33(3):e00136215. Doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00136215

Gomes GF, Dos Santos APV. Assistência de enfermagem no puerperio. Rev Enf Contemp. 2017;6(2):211-20. Disponível em: https://www5.bahiana.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/1407

Mendes PDG. O papel educativo e assistencial de enfermeiros durante o ciclo gravídico-puerperal: a percepção de puérperas. R. Interd. 2016;(9):49-56. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/6772014.pdf

Silva RM, Jorge HMF, Matsue RY, Ferreira Junior AR, Barros NF de. Uso de práticas integrativas e complementares por doulas em maternidades de Fortaleza (CE) e Campinas (SP). Saude soc. 2016; 25(1):108–20. Doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902016143402

Whittemore R, Knafl K. The integrative review: updated methodology. Journal of Advanced Nursing. 2005;52:546–53. Doi: https://doi.org/10.1111/j.1365-2648.2005.03621.x

Ganong LH. Integrative reviews of nursing research. Res Nurs Health. 1987;10:1-11. Doi: https://doi.org/10.1002/nur.4770100103

Yılar Erkek Z, Aktas S. The Effect of Foot Reflexology on the Anxiety Levels of Women in Labor. J Altern Complement Med. 2018;24:352–60. Doi: https://doi.org/10.1089/acm.2017.0263

Aziato L, Acheampong AK, Umoar KL. Labour pain experiences and perceptions: a qualitative study among post-partum women in Ghana. BMC Pregnancy Childbirth. 2017;17:73. Doi: https://doi.org/10.1186/s12884-017-1248-1

Yeh Y-C, John WS, Venturato L. Inside a Postpartum Nursing Center: Tradition and Change. Asian Nursing Research. 2016;10:94-99. Disponível em: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S1976131716300123

Zeng Y, Ying Z, Chen P, Luo T, Huang M. Use of complementary and alternative medicine across the childbirth spectrum in China. Complementary Therapies in Medicine. 2024;22:1047-Disponível em:https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0965229914001678

Low LK, Miller JM, Guo Y, Ashton-Miller JA, DeLancey JOL, Sampselle CM. Spontaneous pushing to prevent postpartum urinary incontinence: a randomized, controlled trial. Int Urogynecol J. 2013;24:453–60. Doi: https://doi.org/10.1007/s00192-012-1884-y

Shin HS, Ryu, KH, Song YA. Effects of Laughter Terapy on Postpartum Fatigue and Stress Responses of Postpartum Women. Journal of Korean Academy of Nursing. 2011; 41(3): 294-301. Doi: https://doi.org/10.4040/jkan.2011.41.3.294

Fahy K, Hastie C, Bisits A, Marsh C, Smith L, Saxton A. Holistic physiological care compared with active management of the third stage of labour for women at low risk of postpartum haemorrhage: a cohort study. Women Birth. 2010;23:146–52. Doi: https://doi.org/10.1016/j.wombi.2010.02.003

O’zsoy AS, Katabi VA. Comparison of traditional practices used in pregnancy, labour and the postpartum period among women in Turkey and Iran. Midwifery. 2008; 24:291–300. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0266613806000805

Hur M-H, Cheong N, Yun H, Lee M, Song Y. [Effects of delivery nursing care using essential oils on delivery stress response, anxiety during labor, and postpartum status anxiety]. Taehan Kanho Hakhoe Chi. 2005;35:1277–84. Doi: https://doi.org/10.4040/jkan.2005.35.7.1277

Nabb MTM, Kimber L, Haines A, McCourt C. Does regular massage from late pregnancy to birth decrease maternal pain perception during labour and birth? A feasibility study to investigate a programme of massage, controlled breathing and visualization, from 36 weeks of pregnancy until birth. Complement Ther Clin Pract. 2006;12:222–31. Doi: https://doi.org/10.1016/j.ctcp.2005.12.006

Batista KRA, Farias MCAD, Melo WSN. Influência da assistência de enfermagem na prática da amamentação no puerpério imediato. Saúde debate. 2013;37:130–8. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010311042013000100015&lng=en&nrm=iss

Castiglioni CM, Cremonese L, Prates LA, Schimith MD, Sehnem GD, Wilhelm LA. Práticas de cuidado no puerpério desenvolvidas por enfermeiras em Estratégias de Saúde da Família. Rev Enferm UFSM. 2020;10:e50. Doi: https://doi.org/10.5902/2179769237087

Ferreira AP, Dantas JC, Souza FMLC, Rodrigues IDCV, Davim RMB, Silva RAR. O enfermeiro educador no puerpério imediato em alojamento conjunto na perspectiva de Peplau. Rev. Eletr. Enferm. 2018;20:v20a08. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/45470

Publicado

28-05-2024

Como Citar

1.
da Silva dos Santos AC, Mendes de Sousa GA, Pereira Barbosa KM, Almeida de Sousa L, de Sousa Silva V, da Silva dos Santos MH. ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NÃO FARMACOLÓGICA À PUÉRPERA: REVISÃO INTEGRATIVA. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 28º de maio de 2024 [citado 23º de junho de 2024];98(2):e024321. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com.br/index.php/revista/article/view/2238

Edição

Seção

ARTIGO DE REVISÃO